WhatsApp Image 2021-09-14 at 11.33.40.jpeg

17.418.321-0 

 

PROTOCOLO DE BIOSSEGURANÇA

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

INSTITUIÇÃO DE ENSINO

COLÉGIO BETTA

QUALITY EDUCATION WITHIN EVERYONE'S REACH

 

 

 

AGOSTO DE 2021

 

SUMÁRIO

 

 

1   INTRODUÇÃO...........................................................................3

2   OBJETIVO..................................................................................3

3   COMISSÃO DE BIOSSEGURANÇA .........................................3

3.1  Identificação Membros da Comissão de Biossegurança ...3

4   RETORNO DAS ATIVIDADES  PRESENCIAIS.........................4

4.1  Início das Atividades...............................................................4

4.2  Oferta de  Ensino  ONLINE.....................................................4

5   MEDIDAS DE INFORMAÇÕES AOS ÓRGÃOS OFICIAIS........5

6   MEDIDAS DE PREVENÇÃO ENFRETAMENTO  COVID-19.....5

6.1    Medidas Específicas..............................................................5

7    DAS MEDIDAS EM RELAÇÃO A SINAIS E SINTOMAS..........7

8    CASOS SUSPEITOS E CONFORMADOS................................7

9    MEDIDAS COLETIVAS E INDIVIDUAIS...................................8

10  MEDIDAS ADICIONAIS PARA EDUCAÇÃO INFANTIL..........10

11 ANEXOS (ATA DE MEMBROS, ESTATÍSTICA E FOTOS)......12

 

 

 

 

1 INTRODUÇÃO

 

O presente protocolo, foi elaborado em conformidade com as diretrizes previstas na  Lei nº 14.040/2020, objeto da conversão da Medida Provisória nº 934/2020, que estabelece normas educacionais excepcionais a serem adotadas durante o estado de calamidade pública, reconhecido pelo Decreto Legislativo nº 6, de 20 de março de 2020, Resolução do SESA-PR 98//2021 (Protocolo de Biossegurança) e o Decreto Municipal  28.696, de 6 de novembro de 2020, (Institui o Protocolo Sanitário, Administrativo e Pedagógico para o retorno às aulas presenciais a ser implementado em todas as unidades escolares, independente do número de alunos e servidores, respeitando as especificidades de cada unidade, no âmbito do Município de Foz do Iguaçu).

 

2 OBJETIVO

 

O objetivo é elaborar Protocolo de Biossegurança em conformidade com as diretrizes previstas na Resolução 98/2021 do SESA-PR, para tal considerando a capacidade física instalada e número de alunos matriculados, a fim de manter as medidas de prevenção e controle da COVID-19.

 

 

3 COMISSÃO DE BIOSSEGURANÇA

 

No dia três de março de 2021, em Assembleia, foi redigida a Ata 01/2021, com a finalidade de formação da comissão de representante para o Protocolo de Biossegurança, reuniram-se Entidade Mantenedora, Direção, Coordenação, Representante dos Funcionários e Pais de Alunos.

 

3.1 Identificação dos Membros da Comissão de Biossegurança

- Representante da Entidade Mantenedora:

                                   Elizabeth Furjan Rial – Diretora -

                                   Artur Gustavo Rial   - Assistente –

-  Represente dos Funcionários:  

                                   Ramiriam Luz dos Santos - Coordenadora -

                                   Izolete Fernandes Strapassoni  - Inspetora de Alunos-

- Representante dos Pais e Alunos:

                                    Mônica Engel – Secretária –

 

4 RETORNO DAS ATIVIDADES PRESENCIAIS

4.1  Início das Atividaes

O inicio das aulas ocorreram de forma presencial no dia 03 de fevereiro de 2021, cumprindo o protocolo sanitário da SESA e Protocolo Sanitário do Município de retorno as aulas.

O retorno às aulas presenciais não foi obrigatório, sendo aulas presenciais e simultaneamente transmitida de forma “online”.

 

4.2  Oferta de Ensino ONLINE

No ano de 2020 a nossa instituição de ensino já realizou no decorrer do ano, o sistema de alua online, transmitida pelo Docente de sua residência.

O advento do retorno das aulas presenciais em 2021, e consequentemente o retorno dos Docentes para sala de aula com aulas presenciais e simultaneamente com transmissão ao vivo, ou seja “online”.

O aumento de casos graves e o comprometimento da saúde, e com advento do decreto estadual, suspendendo as aulas presenciais, o nosso sistema não foi alterado, pelo fato de que os docentes já vinham proporcionando os dois sistemas, assim foram apenas canceladas as aulas presenciais e os Docentes permaneceram transmitindo as aulas “online”.

5  MEDIDAS DE INFORMAÇÕES AOS ÓRGÃOS OFICIAIS

O retorno as atividades presenciais envolviam preencher o formulário "Pesquisa das Instituições de Ensino do Paraná", a fim de informarem acerca das condições escolares, dos estudantes, do modelo de ensino e das medidas implementadas contra a COVID-19 para acompanhamento epidemiológico da pandemia, segue link:

https://redcap.appsesa.pr.gov.br/surveys/?s=RK3Y9WPEHY;

 

A cada quinze dias, preencher o questionário para acompanhamento de casos laboratorialmente confirmados da COVID-19 e casos suspeitos ainda sem resultado do exame. Para identificação de surtos, segue link:

https://redcap.appsesa.pr.gov.br/surveys/?s=HCRJRN347X

 

6  MEDIDAS DE PREVENÇÃO E ENFRETAMENTO AO COVID-19 

 

6.1 Medidas Específicas

As medidas constantes no presente protocolo, bem como as orientações descritas no "Protocolo de Volta às Aulas" da SEED/PR e no Plano Municipal de Contingência COVID-19, são subsídios para medidas do presente protocolo.

  1. O modelo adotado no Protocolo prevê a adoção de modelo de ensino que seriam aulas presenciais e online, a fim de diminuir a circulação simultânea de pessoas na comunidade escolar.

  2. O Protocolo de Biossegurança será divulgado a toda comunidade escolar e disponibilizado no link: https://www.betta.com/protocolo-de-biosseguran%C3%A7a-1.

  3. O presente Protocolo será enviado por meio de contato digital, plataforma educacional online, WhatsApp, e-mail ou outro meio de comunicação escola responsável.

  4. O retorno das aulas presenciais é facultativo, presencial e online, caso o Pai/Responsável opte por aula presencial, fica ciente que sempre pode ocorrer de uma forma ou de outra risco de contaminação.   

  5. Na falta de firmar o Termo de Compromisso, o presente protocolo, devidamente divulgado, tem para todos os fins, aceitação e concordância por parte dos Pais/Responsáveis.

  6. Os Pais/Responsáveis estão cientes de que em caso de Crianças, adolescentes e adultos com sinais e sintomas de Síndrome Gripal (SG) não devem ser encaminhadas às Instituições de Ensino e devem passar por avaliação de profissional de saúde. Os Pais/Responsáveis devem informar a Instituição de Ensino a respeito dessa ausência.

  7. É responsabilidade dos Pais/Responsáveis a atualização do esquema vacinal das crianças e adolescentes.

  8. Sempre que estudantes, professores, trabalhadores e frequentadores da Instituição de Ensino que pertençam ao grupo de risco, podem frequentar as atividades presenciais, desde que em local arejado e higienizado ao fim de cada turno de trabalho.

São considerados grupo de risco:

  • Idade igual ou superior a 60 anos;

  • gestantes em qualquer idade gestacional;

  • lactantes com filhos de até 06 meses de idade;

  • pessoas com as seguintes condições clínicas: cardiopatias graves ou descompensadas (insuficiência cardíaca, infartados, revascularizados, portadores de arritmias, hipertensão arterial sistêmica descompensada); pneumopatias graves ou descompensadas (portadores de Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica - DPOC ou asma moderada/grave); imunodeprimidos; doentes renais crônicos em estágio avançado (graus 3, 4 e 5), doença hepática em estágio avançado, diabéticos conforme juízo clínico, e obesidade (IMC >=40).

  • O atendimento ao público preferencialmente deve ser realizado de forma virtual e caso ocorra de forma presencial cumprir protocolo.

  • Fornecedores, Pais, Inspeção, vistoria realizados por órgãos Públicos não essenciais e manutenção em geral, preferencialmente deve ser realizado fora do horário de aula presencial.

 

7  DAS MEDIDAS EM RELAÇÃO A SINAIS E SINTOMAS

  1. Deve-se adotar estratégias para identificação precoce de estudantes e professores e demais trabalhadores classificados como casos suspeitos ou confirmados de COVID-19, devendo seguir medidas de isolamento/quarentena conforme recomendações vigentes.

  2. O monitoramento da temperatura corporal de todos os estudantes, trabalhadores e demais frequentadores, deve ocorrer diariamente no momento do ingresso à Instituição de Ensino.

  3. Ocorrendo temperatura igual ou maior a 37,1ºC, condutas devem ser adotadas para o isolamento imediato. No caso de alunos, os pais ou responsáveis devem ser prontamente comunicados, caso haja demora na busca do aluno, a Instituição de Ensino poderá, por meio próprio encaminhar o aluno junto ao Pai/Responsável, e assim orienta-los a procurar assistência médica, no caso de funcionário encaminha-lo a assistência médica.

  4. Na entrada a aferição de temperatura facultativa e obrigatória utilização de máscara. Ocorrendo recusa, será impedida a entrada.

  5. A Instituição de ensino destinará uma sala isolada, arejada para alunos com temperatura igual ou maior a 37,1ºC, devendo ser aferida a temperatura do aluno a cada 20min..

 

8  CASOS SUSPEITOS E CONFIRMADOS

Considera-se casos suspeitos:

  1. As pessoas que apresentem um quadro respiratório agudo com um ou mais sinais ou sintomas de febre, tosse e falta de ar.

  2. Outros sintomas não específicos ou atípicos podem incluir: dor de garganta; diarreia; anosmia (incapacidade de sentir odores) ou hiposmia (diminuição do olfato); mialgia (dores musculares, dores no corpo), cansaço ou fadiga.

  3. Em crianças, na ausência de outro diagnóstico específico, considera-se também a obstrução nasal.

  4. Para estes suspeitos de COVID-19 a febre pode estar ausente e sintomas gastrointestinais (diarreia) podem surgir.

 

Considera-se casos confirmados:

  1.  Confirma-se, uma vez que apresente resultado de exame laboratorial confirmado para COVID-19, acompanhado de atestado médico, datado, carimbado e assinado.

  2. Em casos de contaminação entre estudantes, professores ou demais trabalhadores, a Instituição irá notificar a Secretaria Municipal de Saúde, que conjuntamente definirá as medidas a serem adotadas.

  3. As aulas de Educação Física serão realizadas de forma individualizada, sem contato físico entre os participantes, com distâncias de 1,0 (um metro), em espaços abertos, em superfícies de fácil limpeza e desinfecção, sem troca de objetos entre alunos ou contato físico entre eles.

 

9  MEDIDAS COLETIVAS E INDIVIDUAIS

As medidas coletivas visam a prevenção de toda comunidade escolar, cumprindo regras e cuidados, como seguem:

  1. Em todos os acessos deve estar disponibilizado álcool gel 70% (setenta por cento), de fácil acesso e nos pontos com maior circulação de pessoas, como: entradas, corredores, administração, e áreas de lazer.

  2. A higienização das mãos com agua e sabão são obrigatórias, ao retornar a sala de aula, após sair de sala de aula, retorno de recreio, educação física, aula em laboratórios e etc.

  3.  Lixeiras com funcionalidade que não possibilitam contato físico em todos os ambientes

  4. Fica proibido aperto de mãos, abraços e beijos.

  5. Em todos os ambientes da Instituição de Ensino deve-se manter um distanciamento mínimo de 1,0m.

  6. A biblioteca permanecerá fechada enquanto perdurar o período de restrição.

  7. Os materiais de sala de aula devem ser utilizados e manuseados de forma individual.

  8. Efetuar marcações e orientações de distanciamento, utilização de máscara, lavar as mãos com agua e sabão e uso de álcool gel.

  9. O sistema de registro de trabalhadores do sistema biométrico, após registro, deve-se esterilizar as mãos.

  10. Horário de entrada e saída escalonados, alunos que entram antes saem antes e vice e versa.

  11. Atividades sempre serão priorizadas ao ar livre.

  12. Limpeza e desinfecção dos ambientes internos e externos da Instituição em superfícies habitualmente muito tocadas, como: corrimões, elevadores, telefones, teclados de computador, torneiras, maçanetas de portas, interruptores de energia, carteiras escolares, entre outros.

  13. Todos os ambientes devem ser mantidos constantemente arejados e ventilados, preferencialmente de forma natural.

  14. Mesmo com o ar condicionado ligado, portas e janelas devem ser mantidas abertas.

  15. O sistema de ar condicionado deve ser mantido com seus componentes limpos e com a manutenção preventiva em dia, em conformidade com o Plano de Manutenção Operação e Controle (PMOC) sob responsabilidade de um profissional habilitado.

  16. Os laboratórios e as salas de apoio para a realização das atividades extracurriculares devem ter lotação máxima reduzida garantindo o afastamento de 1,0 m, e limpeza e desinfecção entre os usos.

  17. Locais de formação de filas, demarcação de forma visual, por meio de sinalizações no piso, cones, fitas, entre outros materiais, a fim de assegurar a medida de 1,0 m de afastamento entre as pessoas.

  18. Os bebedouros somente com torneira e orientação de não consumir agua com a boca.

  19. Todos alunos são necessários utilização de squeeze, individual não compartilhada.

  20. O uso dos elevadores, deve ser utilizado por no máximo 02 (duas) pessoas.

  21. Os intervalos ou recreios são separados por turma, não havendo mistura de turmas, após aquisição do lanche o aluno é encaminhado a área aberta e depois a sala de aula.

  22. Os produtos da cantina e refeitório estão estabelecidos na Nota Orientativa 07/2020 da Secretaria de Saúde do Paraná.

  23. Todas as pessoas devem permanecer com máscara facial nos ambientes destinados à realização da alimentação, sendo permitida sua retirada apenas durante o período de ingestão do alimento, devendo a mesma ser recolocada imediatamente após o término da refeição.

  24. Os ambientes coletivos devem ser desinfetados principalmente banheiros no mínimo uma vezes por turno.

 

10 MEDIDAS ADICIONAIS PARA EDUCAÇÃO INFANTIL

O Retorno da Educação Infantil ocorreu de forma simultânea, pelo fato da unidade não estar fisicamente anexada a educação fundamental e médio, assim não havendo a necessidade de escalonamento no retorno as aulas presencias.

  1. Todas as medidas tomadas na unidade Ensino Fundamental e médio, foram tomadas na Educação Infantil, neste momento os responsáveis devem informar se a criança apresentou algum sintoma suspeito nas últimas vinte e quatro horas, como: febre, calafrios, falta de ar, tosse, dor de garganta, diarreia, entre outros, crianças acometidas de outras doenças cotidianas como viroses e infecções bacterianas não devem frequentar a creche ou pré-escola enquanto sintomáticas.

  2. As famílias devem permanecer do lado de fora das unidades, a fim de evitar a circulação de pessoas no interior da Instituição. No caso de crianças abaixo de 3 (três) anos, deve ser permitida a entrada de apenas um adulto por criança.

  3. Organizar espaços para apoiar mães que ainda amamentam seus bebês.

  4.  Enfatizar a prática da higienização das mãos com todas as crianças na chegada a Instituição de Ensino, após o uso do banheiro, antes e após as refeições, após ações educativas, entre outros.

  5. Os alunos não devem trazer o seu brinquedo de casa para a Instituição de Ensino.

  6. Manter a posição alternada dos colchões destinados ao descanso das crianças, de forma que cada uma, ao deitar-se, permaneça em sentido contrário a outra, os colchões destinados ao descanso das crianças devem ser revestidos de material liso, impermeável e lavável, manter  distanciamento de 1,0 m entre eles.

  7. Os professores devem adotar estratégias para o monitoramento constante das crianças de forma que evitem levar as mãos à boca, olhos e nariz, com utilização de máscara de pano e ou face shield.

  8. Os banheiros, fraldários, colchonetes, berços e afins, devem ser limpos e desinfetados sempre após cada uso.

  9. Cada criança deve manter seus próprios itens de higiene pessoal, como: fraldas, toalha, escovas de dente (quando indicado), álcool em gel 70, entre outros, em quantidade suficiente para um dia de permanência no local. Não será permitido o compartilhamento destes materiais entre as crianças.

  10. Itens como pratos, colheres, mamadeiras e outros utensílios utilizados para alimentação devem ser individualizados e corretamente higienizados imediatamente após o uso.

  11. Orientar os pais sobre a necessidade dos pertences pessoais das crianças serem diariamente desinfetados com álcool 70% (setenta por cento), ou produto similar, imediatamente após a chegada em casa.

  12. As janelas das salas devem permanecer abertas.

  13. Professores e demais trabalhadores devem fazer uso obrigatório de máscaras e ou de face shield.

  14. Crianças menores de 03 (três) anos de idade não devem utilizar máscaras faciais devido ao risco de sufocamento e dificuldade para permanecer com elas durante todo o tempo recomendado.

  15. Os lençóis, travesseiros e mantas devem ser de uso exclusivo da criança, não podendo ser compartilhado.

  16. Nos momentos em que exista a necessidade de banho ou troca de fraldas das crianças, o funcionário deverá, obrigatoriamente, estar paramentado com os seguintes equipamentos de proteção: máscara, face shield, luvas descartáveis e avental.

O uso de banheiras devem ser individualizadas.